Beleza inefável

Nunabre
Nunabre

O dia 21 de março é, desde há muito Dia Mundial de Poesia. 

De que estaremos a falar, quando o tema é Poesia? Vamos tentar fazer alguma luz sobre este assunto, que é tão suculento quão difícil.

Poesia – Poeta – Poema – que realidades são essas?

O célebre pintor Rafael (1488-1520), tentando traduzir em Pintura a realidade Poesia, escolheu para modelo um rosto lindo duma donzela, com duas asas abertas e um anjo sob cada asa (quadro existente no Vaticano). Uma possível leitura desse quadro poderá ser – julgo eu – será descobrir na Poesia: Beleza, Voos, Fantasia, Candura, algo divinal…

Sendo assim, o que será então um Poeta? Florbela Espanca (poetisa nascida em Vila Viçosa e falecida em Matosinhos (1894-1930), diz que ser “poeta é ser maior” …

Consta que na Antiguidade, o Poeta era quase um ser divinal.

Poesia e Música (duas irmãs quase gémeas) são indefiníveis. O Poeta, semeador de Poesia será então um Artista que gera Beleza com as suas palavras. Uma espécie de visionário ou idealista que sonha acordado… Um louco? Talvez, mas admirável na sua loucura, que não o degrada, mas o exalta!

Qualificados observadores atentos, viram Grandeza nos Poetas. Ora oiçam: – “Não há melhores nem mais nobres almas que as dos Poetas. Quem me dera ser o louco, o doido, o poeta que eu tinha vergonha de ser. Deixei-o passar, Gente do mundo, devotos do Poder, do mundo da Glória; ele não entende bem isso e vós não entendeis nada dele” – tudo afirmações do nosso grande poeta Almeida Garret!

Oiçamos também o ilustre Professor Jacinto Prado Coelho: – “O poeta é um visionário a quem foi concedido o privilégio de ver o invisível, de ouvir o silêncio…”  

Miguel Torga (grande poeta também) canta: – “Deixai passar quem passa cheio de luar, de noite e solidão, quem vai beber agua de sonho, colher de açucenas, ser estrela…”

José Régio (poeta igualmente) canta: – “Eu sou o Longe, a Miragem, tenho a minha loucura…” 

Fernando Pessoa (poeta talentoso) diz: – “ Do fundo da inconsciência sabiamente louca tirei Poesia e não pouca”…

Por tudo isto sobretudo, prezado Leitor, tiveram honras de Panteão Nacional os nossos Poetas:  Camões, Garret, João de Deus, Junqueiro…

Justíssimo, até porque – como afirmara Garret – “A morte não passa do corpo, que é tudo em vós e nada ou quase nada no Poeta…”

Honra, pois, à Poesia e aos Poetas! Estes conseguiram ver pérolas onde o Vulgo só vê charcos, lodo, lama… Os Poetas, enlouquecidos pela Arte-Poesia, são criadores de Beleza, retratada na Poesia das palavras!!! Celebremos o seu Dia Mundial!

Outras Opiniões

Os leitores são a força e a vida do nosso jornal Assine A Aurora do Lima

O contributo da A Aurora do Lima para a vida democrática e cívica da região reside na força da relação com os seus leitores.

Item adicionado ao carrinho.
0 itens - 0.00

Ainda não é assinante?

Ao tornar-se assinante está a fortalecer a imprensa regional, garantindo a sua
independência.