O Turismo que não temos – O Turismo que queremos

Antero Sampaio
Antero Sampaio

Tanto Amadeu Costa e Francisco Sampaio lutaram com todas as suas forças para que Viana do Castelo fosse uma potência turística mundial. Sim, porque eles já sabiam que, mais tarde ou mais cedo, a Indústria do Turismo para Países como Portugal seria “uma galinha dos ovos de ouro”. Agora que estas personalidades já nos deixaram, sempre pensei que surgissem vianenses ilustres que continuassem o trabalho daqueles que sonharam um dia ver a nossa cidade cheia de turistas, com navios cruzeiros durante todo o ano. 

Mas não. Os políticos responsáveis pela Indústria do Turismo resolveram substituir a Região de Turismo do Alto Minho e a Região de Turismo do Verde Minho por uma Porto e Norte de Portugal (PNP), com sede em Viana do Castelo. Como jornalista, pensei logo que seria muito difícil a PNP desenvolver a Indústria do Turismo numa área tão longa como o Porto, o Alto Minho e o Verde Minho. Mas quem manda pode e, hoje, a cidade de Viana do Castelo, salvo as Festas da Senhora da Agonia, está longe de ter o turismo que já merecia. 

Na minha análise as autoridades responsáveis pelo Turismo Minhoto ainda não entenderam que com um comboio internacional PORTO/VIGO/PORTO, movido a petróleo… melhor, a gasóleo, porque a linha Porto Valença é de 25.OOO volts e o ramal VALENÇA/VIGO/VALENÇA, tem a voltagem de 3.OOO volts, não iremos a lado algum. Salvo melhor opinião, parece-me que as autoridades galegas, depois dos encontros das Comissões Transfronteiriças, “com abraços fraternais à mistura”, parece-me, dizia eu, as autoridades galegas têm de “obrigar a RENFE” a alterar a voltagem do CI CELTA, para 25.OOO volts. 

Além disso, quer as Câmaras Municipais de Valença, Vila Nova de Cerveira, Caminha e Viana do Castelo; quer as Juntas de Freguesia de Areosa, Carreço, Afife, Vila Praia de Âncora,  Moledo e Seixas deveriam perguntar à CP e à RENFE porque é que o CI CELTA não faz paragem em Seixas, Caminha, Moledo, Âncora, Afife, Carreço e Areosa, freguesias e vilas, com praias maravilhosas, com bons hotéis, pensões e restaurantes  (salvo Areosa, Carreço e Afife), possibilitando a que muitas famílias portuguesas e espanholas, no Verão e não só, possam passar um fim de semana com mar, sol e boa gastronomia, mas também conhecer a beleza do Alto Minho. Se houver vontade política, obrigando a PNP, que “manda” no Turismo do Porto e do Norte de Portugal, a resolver os problemas rodoviários e ferroviários, o Alto Minho terá tantos turistas como o Porto e o Algarve. 

Os políticos alto minhotos, desde juntas de freguesia até às câmaras municipais, que foram eleitos prometendo mundos e fundos aos eleitores, têm a obrigação, uma vez eleitos, de cumprir tudo o que prometeram, caso contrário, não passarão de meros funcionários públicos, que só pensam no fim do mês…! Um Presidente de Junta ou de Câmara, tem que amar, amar muito, a sua terra e quem os elegeu. 

Sigam os exemplos de Amadeu Costa e Francisco Sampaio que, antes de servir Viana do Castelo, amaram esta Princesa do Lima, que quer ser uma potência turística mundial. O verão está à porta e é urgente verificar se as praias de Viana até Valença estão em condições de receber os milhares de turistas, com apoios de praia, restaurantes, sanitários, bons acessos e, sobretudo, uma boa rede ferroviária, com o comboio internacional celta a parar em todas as estações e apeadeiros, desde Viana do Castelo atá Valença. 

Vamos acreditar.

Outras Opiniões

Os leitores são a força e a vida do nosso jornal Assine A Aurora do Lima

O contributo da A Aurora do Lima para a vida democrática e cívica da região reside na força da relação com os seus leitores.

Item adicionado ao carrinho.
0 itens - 0.00

Ainda não é assinante?

Ao tornar-se assinante está a fortalecer a imprensa regional, garantindo a sua
independência.